NOVEMBRO ’21 | CASA DAS ARTES

NOVEMBRO’21

DOMÉSTICOS



O elemento comum aos filmes do ciclo de novembro centra-se na profissão de quem se emprega ao serviço de uma família, casa ou hotel. Observadores das maiores intimidades, confidentes dos seus patrões, elementos essenciais para o seu bem-estar, os sete filmes dedicados a esta temática debruçar-se-ão nas diferentes problemáticas geradas por esta profissão tantas vezes menosprezada mas essencial.

Ao abrir o mês exibimos o filme A Camareira da mexicana Lila Avilés, que conta a história de Eve, empregada de limpeza de um dos mais luxuosos hotéis da cidade do México.  A opulência que a circunda é tão grande que ela mal consegue imaginar as vidas de quem por ali passa.

No sábado, dia 6, exibimos o filme O Conto dos Crisântemos Tardios do mestre Kenji Mizoguchi. Uma fábula sobre um amor condenado entre um ator de teatro Kabuki e uma jovem empregada disposta a sacrificar tudo pela carreira do homem que ama.

Na semana seguinte, exibimos o filme Ilo Ilo de Anthony Chen, que baseado na sua própria infância, retrata a relação entre a família Lim e da sua nova criada filipina, Teresa. Na mesma semana temos 3 Verões da brasileira Sandra Kogut. Uma comédia sobre Madá, governanta da casa de Edgar e Marta e o desmoronamento da família e a vida dos empregados com a prisão do patrão.

Na quinta-feira, 18 de novembro, exibimos o clássico de Joseph Losey O Criado, onde Hugo Hugo (Dirk Bogarde) é um criado que vai manipulando gradualmente o seu patrão numa alusiva afronta ao sistema de classes e a fragilidade da aristocracia inglesa. No sábado, 20, outro clássico, desta vez do espanhol Luís Buñuel, com O Diário de uma Criada de Quarto sobre Célestine, uma sofisticada parisiense que começa a trabalhar como criada numa propriedade rural de uma família aristocrática.

Para a última semana do mês fechamos o ciclo com a exibição da História da minha Morte de Albert Serra que conta a história de Casanova, que com o seu criado, muda-se para o Nordeste da Europa para passar os seus últimos dias.

Para a última sessão do mês exibimos o penúltimo filme do ciclo 7 ½ A Arca Russa, realizado pelo russo Aleksandr Sokurov cuja a particularidade foi a de ser filmado em um único plano-sequência (sem cortes) depois de três meses de ensaios, no interior do Museu Hermitage, em São Petersburgo.

Não percam novembro, há muito para ver!

Quinta-feira, 4 de novembro | 21h30

A CAMAREIRA

LA CAMARISTA

Lila Avilés

México | 2018 | FIC | 102’

Eve faz longos turnos como camareira num dos mais luxuosos hotéis da cidade do México. A opulência que a circunda é tão grande que ela mal consegue imaginar as vidas de quem por ali passa. Para poder alimentar o seu filho de quatro anos, que pouco vê, cuida dos outros e dos filhos dos outros. Mas, apesar das dificuldades, a esperança de melhores dias nunca a abandona. Com isso sempre presente, inscreve-se num programa pós-laboral de educação para adultos promovido pelo hotel, enquanto sonha ser promovida para limpeza das suítes executivas.

Sábado, 6 de novembro | 18h

O CONTO DOS CRISÂNTEMOS TARDIOS 

ZANGIKU MONOGATARI

Kenji Mizoguchi

JAPÃO | 1939 | FIC | 143’


Tóquio, 1888. Uma fábula sobre um amor condenado entre um actor de teatro Kabuki e uma jovem empregada disposta a sacrificar tudo pela carreira do homem que ama. O filme acompanha os horários exigentes e as dificuldades que o actor enfrenta, estabelecendo um paralelo com os papéis que a jovem é forçada a assumir.

Quinta-feira, 11 de novembro | 21h30

ILO ILO

Anthony Chen

SINGAPURA | 2013 | FIC | 99’


Ilo Ilo retrata a relação entre a família Lim e da sua nova criada, Teresa. Como muitas filipinas, Teresa chegou a Singapura à procura de uma vida melhor. Mas a sua presença piora a já tensa relação entre os vários membros da família. Mas Jiale, o filho pequeno e traquina, acaba por criar laços com Teresa, que se torna parte da família. Mas estamos em 1997 e a crise financeira asiática começa a sentir-se na região.

Sábado, 13 de novembro | 18h

3 VERÕES

Sandra Kogut

BRASIL/FRANÇA | 2019 | FIC | 95’

Todos os anos, entre os festejos do Natal e o Ano Novo, os brasileiros Edgar e Marta organizam uma grande festa na sua luxuosa casa de praia. Mas se em 2016 eles parecem transbordar de felicidade, nos anos seguintes as coisas vão-se complicando. Até que, em Dezembro de 2017, a festa é cancelada. Através de Madá, a governanta da casa, e do velho Lira, pai de Edgar, vamos conhecendo as razões pelas quais tanta coisa mudou. 

quinta-feira, 18 de novembro | 21h30

O CRIADO

THE SERVANT

Joseph Losey

Reino Unido | 1963 | FIC | 113’


Hugo (Dirk Bogarde) é um criado que gradualmente manipula o seu patrão (James Fox) a resignar-se a uma posição de subserviência, num exercício alucinado de subversão das relações de poder tradicionais. Drama psicológico envolto num ambiente claustrofóbico, o filme é um ataque directo ao sistema de classes e à fragilidade da aristocracia inglesa. Com argumento de Harold Pinter (na primeira de três colaborações cinematográficas entre o célebre dramaturgo e Losey), O Criado conquistou um grande sucesso crítico e comercial, consagrando também Bogarde como um dos maiores actores britânicos da sua geração.

Sábado, 20 de novembro | 18h00

DIÁRIO DE UMA CRIADA DE QUARTO 

JOURNAL D’UNE FEMME DE CHAMBRE

Luis Buñuel

FRANÇA / ITÁLIA | 1963 | FIC | 98’


Célèstine entra ao serviço dos Monteil, burgueses de província, mas não simpatiza com eles. Presta-se, no entanto, aos caprichos do velho Monteil, que gosta de a ver de botas. Quando pensa em despedir-se, Célèstine sabe da notícia da violação e morte de uma menina. Desconfia de Joseph, outro empregado dos Monteil e activista da extrema direita, e decide continuar ao serviço para confirmar a culpabilidade dele. Dorme com ele para tentar arrancar-lhe uma confissão. Fabrica provas falsas e faz com que Joseph seja preso. Célèstine casa então com o vizinho, o capitão Mauger, inimigo figadal dos Monteil, enquanto Joseph é libertado pouco tempo depois.

Quinta-feira, 25 de novembro | 21h30

HISTÓRIA DA MINHA MORTE 

HISTÒRIA DE LA MEVA MORT

Albert Serra

ESPANHA / FRANÇA | 2013 | FIC | 148’


Casanova deixou um castelo suíço com a típica atmosfera libertina do século XVIII para passar os seus últimos dias em terras pobres e escuras do nordeste da Europa. Lá, a sua vida mundana e o pensamento racionalista enfrentam uma nova força violenta, esotérica e romântica, representada por Drácula e pelo seu eterno poder.

Sábado, 27 de novembro | 18h00

ciclo 7 ½

A ARCA RUSSA

RUSSKIY KOVCHEG

Aleksandr Sokurov

RUSSIA | 2002 | FIC | 96’

2.000 actores, 33 salas do Museu Hermitage, 300 anos de História da Rússia ensaiado durante 3 meses, filmado de uma só vez, num único plano-sequência de 90 minutos.

Este é um filme verdadeiramente singular ao misturar tecnologia de ponta, uma narrativa inovadora e um estilo único de realização, criando um acontecimento sem precedentes na história do cinema: um filme de ficção sem um único corte num contínuo movimento de câmara.
Sokurov conta uma história que atravessa 300 anos da História da Rússia com mais de 3.000 actores e figurantes, um guarda-roupa sumptuoso, cabeleiras de época e três orquestras ao vivo num dos maiores palácios do mundo, o Hermitage de São Petersburgo. Após três meses de preparação e ensaios, o filme foi feito num único dia: 23 de Dezembro de 2001.

De acordo com as regras associadas ao combate à pandemia do COVID-19, o uso de máscara é obrigatório no interior da Casa das Artes e durante a duração total do filme. 

bilhete normal: 3,5€ | bilhete estudante / +65 anos: 2,5€ | bilhete sócio CCP: 0,5€

A bilheteira abre meia-hora antes de cada sessão.

Não se fazem reservas. Não há multibanco.