Novo Mundo | Casa da Música | Casa Aberta

cinema_casaberta

De 16 a 20 de Janeiro o Cineclube do Porto apresenta 5 filmes em parceria com a Casa da Música. Todos os filmes são às 19h00, na Casa da Música e de entrada gratuita. É obrigatório levantar bilhete antes da sessão.

A programação que o Clube Português de Cinematografia – Cineclube do Porto apresenta para a semana da Casa Aberta na Casa da Música sobre o tema Novo Mundo procura dar a conhecer um conjunto de filmes essenciais na História do Cinema que se relacionam com a ideia de descoberta de um novo mundo.

Começando com orfeu negro (1959) de Marcel Camus, que coloca em destaque as cores vibrantes do brasil e do seu carnaval, com o apoio da música de António Carlos Jobim e Luis Bonfa, procuramos descobrir um país de luz, samba e bossa nova. Em Stranger than paradise (1984), um dos primeiros filmes do americano Jim Jarmusch, cuja relação com a música underground nova iorquina é uma constante ao longo da sua filmografia, acompanhamos uma viagem de três estrangeiros atrás de um sonho (americano?) que atravessam um país desolador, recordando os desertos dos westerns do cinema de hollywood, pautado pela música do artista e compositor John Lurie cujos temas originais fazem parte do imaginário de descoberta no filme. Tropicália*(2012), é um filme entusiasmante de Marcelo Machado, que nos apresenta uma viagem afectiva, através de vários testemunhos de época e  actuais sobre o movimento Tropicália, no brasil, que agitou o país nos anos 60, tendo como principais personagens, Caetano Veloso, Tom Zé, Os mutantes, Gilberto Gil, entre outros..  Em Que viva méxico! (1979) de Sergei Eisenstein, são as imagens e o movimento, das procissões às festas pagãs, do trabalho ao quotidiano do dia-a-dia, que nos dão o retrato de um novo mundo, registado pela câmara do maior cineasta soviético da história do cinema, num país exótico, novo e turbulento. A odisseia em que as filmagens e produção do filme se transformaram tornam-no um documento ímpar resultado de forças hercúleas. Fitzcarraldo (1982), de Werner Herzog, é o último filme que propomos e concentra numa mesma ideia de procura e conquista do desconhecido a música experimental dos Popul Vuh com a eloquência das óperas de Verdi, Puccini, Bellini e Richard Strauss a saírem de uma grafonola no meio do amazonas.

orfeunegro

16 Janeiro 2019, Quarta-feira, 19h00, Casa da Música
ORFEU NEGRO
Marcel Camus
Brasil | 1959 | FIC | 100′

Uma releitura do mito de Orfeu e Eurídice, ambientado na época do Carnaval no Rio de Janeiro. Orfeu Negro ganhou a Palma de Ouro em Cannes em 1959 e o Óscar para melhor filme Estrangeiro em 1960.

strangerthanparadise

17 Janeiro 2019, Quinta-feira, 19h00, Casa da Música
STRANGER THAN PARADISE
Jim Jarmusch
EUA | 1984 | FIC | 89′

A vida de um nova-iorquino entra em espiral com a visita de um primo levando-os a começar uma estranha e imprevisível aventura. Um dos primeiros filmes de Jim Jarmusch que acompanha uma viagem extraordinária pelos EUA.

tropicalia

18 Janeiro 2019, Sexta-feira, 19h00, Casa da Música
TROPICÁLIA
Marcelo Machado
Brasil | 2012 | DOC | 87′

Uma viagem de sons e imagens pela história de um dos mais icónicos movimentos culturais brasileiros dos anos 1960. Numa panorâmica construída de forma afectiva, a partir de uma miscelânea de referências, entrevistas, material de arquivo, imagens e, claro, canções, somos levados numa viagem pelo movimento pela mão de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tom Zé, Os Mutantes, entre outros.

QUEVIVAMEXICO.jpg

19 Janeiro 2019, Sábado, 19h00, Casa da Música
QUE VIVA MEXICO!
Sergei Eisenstein
México, Rússia e EUA | 1979 | DOC | 105′

Eisenstein mostra-nos o México, a sua história e a sua cultura. Nunca concluído e apenas existente, em diversas versões, em material que não foi montado por Eisenstein, QUE VIVA MÉXICO! é um caso único na História do Cinema. Iniciada em 1930 numa viagem de Eisenstein ao Ocidente.

fitzcarralfo

20 Janeiro 2019, Domingo, 19h00, Casa da Música
FITZCARRALDO
Werner Herzog
Perú, Alemanha| 1982 | FIC | 158′

A história de Brian Sweeney Fitzgerald “Fitzcarraldo”, um homem extremamente determinado a construir uma ópera no meio da selva. Um dos filmes mais importantes de Werner Herzog, com as prestações de Klaus Kinsky e Claudia Cardinale e música da banda electrónica experimental alemã Popul Vuh e excertos de ópera Verdi, Puccini, Bellini e Richard Strauss.

Nota: sinopses e biografias adaptadas de imdb ou site oficial da distribuidora. Sinopse de Que Viva Mexico! adaptada de texto Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema.

 

Anúncios