Casa das Artes | Maio 2018

MAIO

Património

inserido nas comemorações do ano europeu do Património Cultural

Este Maio associamos a nossa programação às celebrações do Ano europeu do Património Cultural dedicando-lhe a temática do mês.

Abrimos com o filme-ensaio de João Moreira Salles “No intenso agora” que a partir da revolução de Maio’68 ( que celebra este ano 50 anos) reflete sobre as várias convulsões e revoluções que despoletou pelo mundo fora, criando mudanças culturais sentidas ainda hoje. No sábado, 5 de maio, numa parceria com o Goethe Institut, exibimos dois filmes de Cynthia Beatt, o primeiro, uma curta-metragem de 1988 onde ela e Tilda Swinton percorrem parte do muro de Berlim e o segundo, o retorno das duas mais de 20 anos depois aos mesmos locais, no que se torna numa viagem poética e contemplativa sobre os efeitos profundos , visíveis e invisíveis, que a separação e a unificação trouxe ao local.

No dia 10 de maio exibimos o filme de Julian Rosfeldt “Manifesto”, uma instalação transformada em filme onde uma única actriz reinterpreta os maiores Manifestos da história.

No sábado,7, recebemos Ramiro, a mais recente ficção de Manuel Mozos, onde acompanhamos as mais variadas aventuras de um alfarrabista.

A semana de 17 e 19 é dedicada aos museus com a exibição de dois documentários sobre museus europeus. O primeiro, O GRANDE MUSEU de Johannes Holzhausen acompanha o dia-a-dia dos vários trabalhadores  do Museu da História da Arte de Vienna e o segundo, de Sandra Kogut, percorre o Museu d’Orsay à procura do que está por detrás dos quadros e de quem os observa .

No dia 24 de Maio, “Reconversão” de Thom Andersen versa sobre a obra do arquitecto Souto Moura. Sábado, 26, continuamos com a arquitetura com a exibição do filme de Fabiano Maciel sobre o arquitecto Oscar Niemeyer: A vida é um Sopro.

Fechamos o mês com o filme de Jim Jarmusch sobre a obra musical dos The Stogges que influenciaram novas gerações e estilos musicais.

Não percam Maio, há muito para ver!

CCP_04-2018_Cartaz2

Quinta, 3 de maio | 21h30

NO INTENSO AGORA

João Moreira Salles

BRASIL | 2016 | DOC | 127′ | M/12

Feito a partir da descoberta das cenas que uma turista – a mãe do realizador – filmou na China em 1966, durante o início da Revolução Cultural, No intenso agora trata da natureza efémera dos momentos de grande intensidade emocional. Às cenas da China, somam-se imagens de arquivo dos eventos de 1968 na França, na Tchecoslováquia e, em menor extensão, no Brasil. Na tradição do filme-ensaio, o documentário interroga como as pessoas que participaram daqueles acontecimentos – vividos com alegria, encantamento, convicção generosa, medo, decepção, desalento – seguiram adiante depois do arrefecimento das paixões.

Sábado, 5 de maio | 18h00

CYCLING THE FRAME + THE INVISIBLE FRAME

Cynthia Beatt

RFA | 1988 | DOC | 27′

ALEMANHA | 2009 | DOC | 60′

Em 1988, Tilda Swinton percorre em bicicleta uma parte dos 160 km do muro de Berlim acompanhada pela realizadora Cynthia Beatt em Cycling the Frame naquilo que se tornará num extraordinário documento histórico.

Em 2009, mais de 20 anos depois, as duas retomam o mesmo percurso não apenas para documentar os lugares por onde o muro passava, mas também para captar o olhar introspectivo de Berlim Ocidental e a visão de Berlim Oriental por sobre o muro. Assim surge The Invisible Frame.

apoio: Goethe Institut

Quinta-feira, 10 de maio | 21h30

MANIFESTO

Julian Rosefeldt

ALEMANHÃ | 2015 | FIC | 95′ | M/12

Com realização do artista plástico Julian Rosefeldt e com Cate Blanchett como protagonista, um filme onde personagens questionam o papel do artista através de textos da autoria de Rosefeldt, a partir de cerca de 60 originais de artistas, arquitetos, filósofos e realizadores dos séculos XIX e XX. Com realização do artista plástico Julian Rosefeldt e com Cate Blanchett como protagonista, um filme onde 13 personagens questionam o papel do artista através de 13 textos da autoria de Rosefeldt, a partir de cerca de 60 originais de artistas, arquitetos, filósofos e realizadores dos séculos XIX e XX. Com cenários contemporâneos, foram filmados monólogos que vão buscar influências tão diversas como o “Manifesto Comunista” (1848), de Karl Marx e Friedrich Engels, ou as “Golden Rules of Filmmaking” (2004), do cineasta Jim Jarmusch. Blanchett dará assim corpo a uma pivô de telejornal, uma professora, um operário fabril, uma viúva ou um sem-abrigo. Será também a voz de futuristas, surrealistas e dadaístas, de artistas e outros criadores como Sol LeWitt, Kazimir Malevich, Claes Oldenburg, Yvonne Rainer, Werner Herzog, Lars von Trier ou Wassily Kandinsky.

Sábado , 12 de maio| 18h00

RAMIRO

Manuel Mozos

FRANÇA | 1964 | FIC | 95′ | M/14

Ramiro é alfarrabista em Lisboa e poeta em perpétuo bloqueio criativo. Vive, algo frustrado, algo conformado, entre a sua loja e a tasca, acompanhado pelo cão, pelos fieis companheiros de copos e pelas vizinhas: uma adolescente grávida e a avó a recuperar de um AVC. De bom grado continuaria nesse quotidiano pacato e algo anacrónico se eventos dignos da telenovela da noite não invadissem essa bolha.

Quinta-feira, 17 de maio | 21h30

O GRANDE MUSEU

DAS GROßE MUSEUM

Johannes Holzhausen

AUSTRIA | 2014 | DOC | 94′ | M/12

Um olhar particular sobre os bastidores do Kunsthistorisches Museum em Viena. A câmara faz a viagem pelas magnificas galerias e corredores, enquanto acompanha interessadamente curadores e peritos em restauro. Entre todos os que trabalham neste autêntico baú de tesouros existe uma relação de proximidade, que se estendem aos seus patronos de Habsburg. Para alguns a relação com a herança cultural é quase um casamento.

Sábado , 19 de maio | 18h00

PASSAGEIROS D’ORSAY

PASSAGERS D’ORSAY

Sandra Kogut

FRANÇA | 2002 | DOC | 52′ | M/12

Acha que posso tirar-lhe um retrato com a sua obra favorita?”

Aqui está a pergunta que perguntava às pessoas, escolhidas um pouco ao acaso, durante vários meses nas salas do Museu d’Orsay em Paris.

Começava assim a nossa caminhada, longa por vezes de vários quilómetros à procura dessas imagens. Começava assim o filme: para onde eles nos levam, para onde essas obras os levam? “

Quinta-feira, 24 de maio | 21h30

RECONVERSÃO

Thom Andersen

PORTUGAL | 2012 | DOC | 65′ | M/12

Reconversão” retrata 17 edifícios e projetos do arquiteto portuense Eduardo Souto Moura, acompanhados pelos seus próprios escritos. É uma investigação sobre a sua arquitetura, sem comentário crítico. Apenas o guia no Estádio de Braga oferece algumas generalizações, que se ajustam bastante bem à obra, mas esta pode ser a exceção, não a regra. Souto Moura tem a última palavra: “”Se ali não há nada, eu invento uma preexistência.”

Sábado, 26 de maio| 18h00

OSCAR NIEMEYER – A VIDA É UM SOPRO

Fabiano Maciel

BRASIL | 2006 | DOC | 90’| M/12

É possível contar a história de um povo através da sua arquitetura? Dizem que o aspeto mais importante da aparência dos edifícios está no que vislumbramos a respeito das sociedades que os construíram. 

Seguindo este raciocínio, podemos afirmar que a arquitetura de Oscar Niemeyer e outros arquitetos da sua geração é, com certeza, o que de melhor o Brasil produziu. Uma arquitetura com alma própria, inspirada na geografia de nosso país, que acabaria por influenciar arquitetos no mundo inteiro. 

Quinta-feira, 31 de maio | 21h30

GIMME DANGER

Jim Jarmusch

EUA | 2016 | DOC | 108′ | M/16

Desde o final dos anos 60, os The Stooges têm marcado o panorama musical mundial. Arrebatando o público com uma mistura de rock, blues, R&B e jazz livre, o grupo– no qual Iggy Pop começou a sua carreira – lançou as bases do que viria a ser o punk e rock alternativo. GIMME DANGER narra a saga dos The Stooges e apresenta o contexto no qual surgiu uma das maiores bandas de rock de todos os tempos. Jim Jarmusch conta as suas aventuras e desventuras, mostrando as inspirações e motivações de seus primeiros desafios, até à chegada ao Rock Hall of Fame.

 
_______________________________________________________________
Bilhete Normal: €3.50 | Bilhete Estudante e +65anos: € 2.50 | Bilhete Associado Cineclube do Porto: €0.50
A bilheteira abre 30 minutos antes de cada sessão.
ccp@cineclubedoporto.pt | facebook.com/cineclubedoporto | cineclubedoporto.wordpress.com
Casa das Artes – Sala Henrique Alves Costa | Rua de Ruben A. 210, 4150-639 Porto | T. 220 116 350
culturanorte.pt |casadasartes.pt | facebook.com/casadasartesporto
Anúncios