JUNHO 2017 | CASA DAS ARTES

CINEMA NA CASA DAS ARTES

SALA HENRIQUE ALVES COSTA

JUNHO

ser

[verbo intransitivo]

humano

FRAMES

Ser define-se como: ter certa característica, pertencer, significar. Ser humano é na sua essência ter falhas. Mas também gerar e gerir sentimentos, pertencer a pessoas e momentos; ser humano significa uma reação única e inesperada de cada um ao que o rodeia.

Este mês apresentamos 8 filmes cujos os personagens são confrontados pelas suas próprias falhas e toda a ação é condicionada pela circunstância singular de cada um.

No dia 1 apresentamos o último filme de Paul Verhoeven : o provocante “Elle” com a magnifica Isabelle Huppert. Na mesma semana Philippe Garrel retorna à nossa programação com um dos seus temas recorrentes em “À Sombra das Mulheres”: a infidelidade mas com uma abordagem mais desassombrada.

Na semana de 08 e 10, apresenta-se dois filmes de culto. O último capitulo da trilogia das Cores de Kieslowski e o clássico de Billy Wilder “O Apartamento” onde a comédia equilibra-se com a critica mordaz a um certo tipo de sociedade.

Na semana a seguir, exibimos “Animais Noturnos” uma viagem de uma ficção simbólica dentro da ficção que nos fala de arrependimento, culpa e traição. “Stromboli”, a obra-prima de Rossellini, o filme onde a natureza torna-se personagem na luta interior da personagem cheia de imperfeições.

Os dois últimos filmes, já que sábado 24 é dia de São João e não teremos sessão, são “Os Dias do Paraíso”, uma oportunidade rara de ver em sala o filme que Terrence Malick realizou antes da sua famosa pausa de 20 anos e que mesmo assim o ajudou a tornar-se num dos maiores realizadores americanos; e “São Jorge” de Marco Martins, filme português que deu a Nuno Lopes o prémio de melhor ator no festival de Berlim.

Há muito para ver em Junho.

CCP_06-2017_Cartaz

QUINTA-FEIRA | 01 DE JUNHO | 21:30

ELA

ELLE

Paul Verhoeven

FR/ALE/BELG | 2016 | FIC | 130′ | M/16

Michèle parece indestrutível. Responsável de uma grande empresa de jogos de vídeo, ela gere os seus compromissos como a sua vida sentimental: com mão de ferro. A sua vida transforma-se no dia em que é agredida em sua casa por um misterioso desconhecido. Quando consegue descobrir o rasto desse homem, ambos entram num estranho e excitante jogo – um jogo que, a qualquer momento, pode ficar fora de controlo.

SÁBADO | 03 DE JUNHO | 18:00

À SOMBRA DAS MULHERES

L’OMBRE DES FEMMES

Philippe Garrel

FRANÇA | 2015 | FIC | 75′ | M/12

Pierre e Manon são um casal, realizam documentários juntos e vivem com dificuldades financeiras. Um dia, Pierre conhece uma jovem estagiária, Elisabeth, e esta torna-se sua amante. No entanto, Pierre não quer deixar Manon – pretende manter a relação com as duas.

QUINTA-FEIRA | 08 DE JUNHO | 21H30

TRÊS CORES:VERMELHO

TROIS COULEURS:ROUGE

Krzysztof Kieslowski

FRANÇA | 1994 | FIC | 99′ | M/12

Valentine, uma jovem modelo e estudante na universidade de Genebra, atropela um cão. Felizmente, o cão ficou apenas ferido e Valentine vê na sua coleira a morada do dono, um juiz que espia as conversas telefónicas dos seus vizinhos.

SÁBADO | 10 DE JUNHO | 18H00

O APARTAMENTO

THE APARTMENT

Billy Wilder

EUA | 1960 | FIC | 125′ | M/12

Cinco Oscares para esta obra prima de Billy Wilder, a quem couberam três estatuetas (como produtor, realizador e argumentista), que mistura em doses perfeitas a comédia e o drama, a pureza e o cinismo. Jack Lemmon é um empregado de escritório que procura subir na hierarquia cedendo o seu apartamento para as aventuras extra-conjugais dos administradores. Até que se apaixona por uma dessas “conquistas”: Shirley MacLaine.

Texto: Cinemateca Portuguesa

QUINTA-FEIRA | 15 DE JUNHO | 21H30

ANIMAIS NOTURNOS

NOCTURNAL ANIMALS

Tom Ford

EUA| 2016 | FIC | 116′ | M/16

Susan Morrow, uma negociadora de arte de Los Angeles (EUA), sente-se cada vez mais distante de Armie, o marido. Um dia, recebe pelo correio a cópia de um romance escrito por Edward, o seu primeiro marido, de quem não tinha notícias há já vários anos. A obra, que lhe é dedicada, conta a história de um casal com uma filha pequena. Ao mesmo tempo que se sente impelida à leitura, Susan sente-se profundamente incomodada com a violência contida no livro, acabando por se ver forçada a reavaliar as escolhas que a trouxeram até ali e as consequências de todas as decisões. E, na sua interpretação da história, vê tudo aquilo como uma forma de vingança de Edward, que nunca superou o facto de a relação ter fracassado.

SÁBADO | 17 DE JUNHO | 18H00

STROMBOLI

STROMBOLI, TERRRA DI DIO

Roberto Rossellini

ITÁLIA | 1950 | FIC | 107′ | M/12

Karen é uma refugiada. De modo a poder ficar em Itália, ela casa-se com um marinheiro da ilha de Stromboli, na Sicília. Rapidamente, o facto de ambos terem mentalidades diferentes cria conflitos entre o casal. Odiada pelos habitantes da ilha e praticamente ignorada pelo marido, Karen procura forças para sobreviver nesse contexto. Este é o filme que marca a primeira colaboração entre Rossellini e Ingrid Bergman.

QUINTA-FEIRA | 22 DE JUNHO | 21H30

OS DIAS DO PARAÍSO

DAYS OF HEAVEN

Terrence Malick

EUA | 1978 | FIC | 95′ | M/12

Um dos filmes mais aclamados de todos os tempos. Dias do Paraíso é uma comovente história sobre dois homens que amam a mesma mulher. Richard Gere, um fugitivo das catacumbas de Chicago, dá com ele a enfrentar um tímido e rico Texano (Sam Shepard), pelo amor de Abby (Brooke Adams).

O filme que Malick realiza a seguir a “Badlands”, é uma extraordinária conquista cinematográfica de imagem e de som.

Após este filme, Terrence Malick ficaria 20 anos sem realizar qualquer filme, não deixando mesmo assim de ser considerado um dos maiores realizadores americanos durante esse tempo de interregno.

SÁBADO | 24 DE JUNHO

SÁBADO, VINTE E QUATRO

NÃO HÁ SESSÃO

NÃO HÁ CINEMA, NEM TEATRO

É DIA DE SÃO JOÃO!

QUINTA-FEIRA | 29 DE JUNHO | 21H30

SÃO JORGE

Marco Martins

PORTUGAL | 2016 | FIC | 116′ | M/16

Jorge, boxeur, desempregado, corre o risco de perder o seu filho e a sua mulher, quando esta decide regressar ao Brasil. Em desespero, aceita trabalho numa empresa de cobranças difíceis. Ironicamente, Jorge passa a intimidar aqueles que, como ele, se vêem a braços com dívidas que não conseguem pagar. Impele-o a fé numa vida melhor para a sua família, mesmo quando se vê empurrado para um caminho de marginalidade.

Bilhete Normal: €3.50 | Bilhete Estudante e +65anos: € 2.50 | Bilhete Associado Cineclube do Porto: €0.50

A bilheteira abre 30 minutos antes de cada sessão.

Anúncios