Março 2014 | Casa das Artes

O Cineclube apresenta na Casa das Artes a seguinte programação para o mês de Março:

Sábado, 01 de março| 16h00

SERENATA À CHUVA / SINGIN’ IN THE RAIN
Stanley Donen, Gene Kelly
EUA | 1952 | Fic | Cor | 103’ | M/6

serenata a chuva

O maior musical da história do cinema? É a opinião geral e a sua fama está estabelecida. Mas é também uma maravilhosa homenagem à Sétima Arte e à conturbada fase de transição do mudo para o sonoro no final da década de 20, que está na base de alguns dos melhores gags do filme. E é ainda a antologia das grandes melodias daquele tempo, incluindo a que lhe dá o título e foi das primeiras a ser ouvida no cinema, numa obra de 1929.
Don Lockwood e Lina Lamont são a dupla mais famosa do cinema mudo. Os seus filmes são um verdadeiro sucesso e as revistas apostam numa relação intima entre os dois, o que não existe na realidade. Com a chegada do cinema falado, que se torna a nova moda entre os espectadores, o par romântico é confrontado com a realização de um musical, onde é necessário ter um bom desempenho vocal. Mas Lina tem um problema grave: a sua voz é demasiado aguda para os filmes sonoros. Kathy Selden, uma corista que se cruza na vida de Don, é então contratada para dobrar a voz da popular actriz…

Título Orginal: Singin’ in the rain | Interpretação: Gene Kelly, Donald O’Connor, Debbie Reynolds  | Realização: Stanley Donen, Gene Kelly | Argumento: Adolph Green, Betty Comden | Fotografia: Harold Rosson | Montagem: Adrienne Fazan | Produção: Arthur Freed, Roger Edens | Música: Lennie Hayton

Quarta-feira, 05 de março | 21h30

O CÉU SOBRE OS OMBROS

Sérgio Borges

BRASIL | 2011 | Fic/Doc | Cor | 72’ | M/16

 Apresentado por Américo Santos.

Diretor do Festival de Cinema Luso-brasileiro de Santa Maria da Feira desde a sua criação. Frequentou o curso de cinema e vídeo do FAOJ e exerceu a função de programador cultural na Feira Viva E.M.. Desenvolveu várias ações de divulgação do cinema português no Brasil, através da elaboração de programas e indicação de filmes para festivais. Foi homenageado pelo seu trabalho de divulgação das cinematografias portuguesa e brasileira no CURTA-SE, em Sergipe, no Brasil. Integrou o júri oficial do 4º Cineport. Foi o curador da Mostra Novíssimo Cinema Brasileiro, no âmbito da programação da Capital Europeia da Cultura – Guimarães 2012. Atualmente, desenvolve um projeto de cooperação cinematográfica com o Brasil e desempenha a função de diretor executivo na distribuidora Nitrato Filmes.

o_ceu_cartaz

A narrativa acompanha alguns dias na vida de três pessoas: everlyn é uma transexual que fez mestrado sobre os diários de um hermafrodita do século xix e vive entre a prostituição e os cursos de sexualidade que ministra como professora. Murari é um devoto da religião hare krishna e líder da claque organizada do atlético mineiro. lwei é africano descendente de portugueses, escreve vários livros ao mesmo tempo, sem nunca ter concluído nenhum deles, e nunca trabalhou. A história de três pessoas anónimas, comuns. Histórias inventadas pela vida, de pessoas que vivem entre o quotidiano, o exótico e a marginalidade.

Interpretação: Everlyn Barbin, Edjucu Moio, Murari Krishna e Grace Passô  | Realização: Sérgio Borges | Argumento: Manuela Dias e Sérgio Borges | Fotografia: Ivo Lopes Araújo | Montagem: Ricardo Pretti | Produção: Luana Melgaço

Quinta-feira, 06 de março | 21h30

DO OUTRO LADO / AUF DER ANDEREN SEITE

Fatih Akin

ALE/ TURQUIA/IT | 2007 | Fic | Cor | 116’ | M/12

 DO OUTRO LADO

Apesar das reticências do filho Nejat, Ali, viúvo, decide viver com Yeter, uma prostituta de origem turca. Mas Nejat, professor de alemão, acaba por começar a afeiçoar-se a Yeter quando descobre que ela manda dinheiro para a Turquia, para ajudar a pagar os estudos universitários da filha. A morte acidental de Yeter afastará pai e filho e Nejat decide viajar para Istambul para tentar encontrar a filha dela, Ayten. Ativista política, Ayten fugiu da polícia turca e já se encontra na Alemanha, onde se torna amiga de Lotte. Mas o pedido de asilo de Ayten é negado e ela é deportada e enclausurada na Turquia. Num ato irrefletido, Lotte decide partir para a Turquia para ajudar a amiga.

Título Original: Auf der anderen Seite | Interpretação: Baki Davrak, Gursoy Gemek, Gengiz Daner  | Realização: Fatih Akin | Argumento: Fatih Akin | Fotografia: Reiner Klausmann | Montagem: Andrew Bird | Produção: Klaus Maeck, Andreas Thiel, Jeanette Wurl | Música:  Shantel

Sábado, 08 de março | 16h00

CRÓNICA DE UM VERÃO / CHRONIQUE D’UN ÉTÉ

Jean Rouch & Edgar Morin

FRANÇA | 1961 | Doc | P&B | 85’ | M/12

Chronique d'un été - Un été + 50 - Dossier de Presse

Paris, verão de 1960. O cineasta e etnólogo Jean Rouch, acompanhado do sociólogo Edgar Morin, leva a câmara às ruas para colher respostas à seguinte pergunta: “Você é feliz?” O que tem início como uma simples enquete logo se transforma num ambicioso e imprevisível retrato de um grupo heterogêneo de estudantes, operários e imigrantes que expõem seu cotidiano, suas dúvidas e angústias, suas conceções sobre a política e a vida. Em seguida, os realizadores registram as reações deles à projeção do material filmado, momento em que as fronteiras entre verdade e ficção são postas em crise. Unindo o método de Flaherty às teorias de Vertov, este filme-ensaio-manifesto inaugura o cinema-verdade.

Título Original: Chronique d’un été| Interpretação:  Angelo, Regis Debray, Jacques | Realização: Edgar Morin, Jean Rouch | Fotografia: Michel Brault, Raoul Coutard, Roger Morillière, Jean-Jacques Tarbès | Montagem: Néna Baratier | Produção: Anatole Dauman| Música: Pierre Barbaud

Quarta-feira, 12 de março | 21h30

CENTRO HISTÓRICO

Pedro Costa, Manoel de Oliveira, Víctor Erice & Aki Kaurismaki

PORTUGAL | 2012 | Cor | 80’ | M/12

centro-historico

O filme foi concebido como uma viagem pelas histórias escondidas do centro histórico de Guimarães; o primeiro dos quatro episódios, O Tasqueiro, marca a primeira vez que o finlandês Aki Kaurismäki filma em Portugal, onde mantém residência, enquanto o terceiro, Vidros Partidos, é um dos raros pronunciamentos do espanhol Victor Erice, autor de O Espírito da Colmeia e O Sol do Marmeleiro, que nos últimos 20 anos apenas assinou quatro curtas-metragens. Pedro Costa contribui com Lamento da Vida Jovem, de novo com a presença do seu “herói” de Juventude em Marcha, Ventura, e Manoel de Oliveira explora uma visita turística à cidade em O Conquistador Conquistado. 

 

Quinta-feira, 13 de março | 21h30

WENDY & LUCY

Kelly Reichardt

EUA | 2008 | Fic | Cor | 80’ | M/12

wendy and lucy

Wendy Carroll viaja de carro em direção à cidade de Ketchikan, no Alasca, em busca de trabalho e de um novo início de vida. Com ela leva a sua cadela Lucy, a sua única amiga e único apoio emocional. Porém a meio da viagem o destino parece conspirar contra si: o seu velho Accord avaria-se sem que ela tenha dinheiro para resolver a situação. E, pior, perde Lucy…  Sem saber o que fazer, Wendy vai ser obrigada a sobreviver à custa de pequenos gestos de bondade, ao mesmo tempo que envereda numa busca incessante por Lucy. E, neste percurso, vai-se transformando numa outra pessoa.  Um drama, realizado por Kelly Reichardt, sobre o dever da amizade e da generosidade de cada ser humano para com todos os outros.

Título Original: Wendy and Lucy| Interpretação: Michelle Williams, Walter Dalton, Larry Fessenden | Realização: Kelly Reichardt | Argumento: Jon Raymond, Kelly Reichardt | Fotografia: Sam Levy | Montagem: Kelly Reichardt | Produção: Joshua Blum, Todd Haynes, Phil Morisson, Rajen Savjani

Sábado, 15 de março | 16h00

O MEU TIO DA AMÉRICA / MON ONCLE D’AMÉRIQUE

Alain Resnais

FRANÇA | 1980 | Fic  | Cor | 125’ | M/12

MEU TIO DA AMERICA

Alain Resnais, fascinado pelas teorias do biólogo francês Henri Laborit, realizou um filme em que ciência e ficção se unem para explicar de forma acessível as razões biológicas que estão na origem do comportamento humano. Janine (Nicole Garcia), Jean (Roger Pierre) e Rene (Gérard Depardieu) são pessoas com passados, convicções e modos de vida completamente diferentes, cujos percursos acabam por se cruzar. Jean é um homem casado, rico e ambicioso, com uma carreira política ascendente. Apaixona-se por Janine, actriz de segundo plano, que nasceu numa família de recursos modestos. Janine abandonou a casa dos pais, militantes comunistas, para viver a sua própria vida e Jean acaba por se separar da mulher para viver com Janine. A relação amorosa não corre bem e, mais uma vez, Janine muda toda a sua vida. O que fica depois de ver “O Meu Tio da América” é uma enorme sensação de bem-estar e de descoberta de outros horizontes. Por tudo isto, a que se juntam ainda as excelentes interpretações dos actores, esta obra de Resnais recebeu diversos prémios, de que se destaca o Grande Prémio do Júri do Festival de Cannes, atribuído, nesse ano, por unanimidade.

Título Original: Mon Oncle d’ Amérique| Interpretação: Gerard Depardieu, Nicole Garcia, Roger Pierre | Realização: Alain Resnais | Argumento: Jean Gruault, Henri Laborit | Fotografia: Sacha Vierny | Montagem:  Albert Jungerson | Produção: Philipee Dussart, Christian Lentretien | Música: Arié Dzierlatka

Quarta-feira, 19 de março | 21h30

TORRES E COMETAS

Gonçalo Tocha

Portugal | 2012 | Doc | Cor | 60’ | M/12

Apresentado pelo realizador.

Licenciado em Língua e Cultura Portuguesa pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Por lá, fundou Cineclube NuCiVo onde era responsável pela programação, produção e realização dentro do género de vídeos ativistas (documentário). Realizou a sua primeira curta-metragem, “ Bye bye my blackbird” (2006), no âmbito do Festival Mediawave na Hungria, com banda sonora original de  Dídio Pestana.  “Balaou” (2007), uma homenagem a sua mãe, foi a sua primeira longa-metragem, que contou novamente com banda sonora original de Pestana, e acaba por vencer dois prémios no Indielisboa (2007).  O filme também marcou presença no Festival du Film de Vancouver, na Viennale, no Bafici e foi exibido no canal de televisão ARTE. Divide a sua carreira entre o cinema e a música, onde é cantor e compositor. “É da Terra não é da Lua” é a sua segunda longa-metragem filmada e editada entre 2007 e 2011.

torres e cometas

Uma festa de símbolos. Tendo como tema a cidade de Guimarães, “Torres & Cometas” é o novo filme de Gonçalo Tocha, feito com uma equipa pequena – Dídio Pestana no som. A cidade, berço da Nação, foi a torre a partir da qual Afonso Henriques declarou a independência de Portugal na data distante de 1128.
No contexto da sua comemoração como capital europeia da cultura, este é um de vários filmes que se debruçaram sobre a cidade. Como anuncia o seu título astronómico, Tocha atinge a cidade e procura a origem de um novo reino em vestígios: figuras de santos, monumentos, marcos históricos e música que se faz ouvir no espaço conquistado. Procura-se também novos começos a durar para a posteridade, numa coleção de ingredientes históricos que valoriza o presente.

Quinta-feira, 20 de março | 21h30

DE TANTO BATER O MEU CORAÇÃO PAROU / DE BATTRE MON COEUR S’EST ARRETÉ

Jacques Audiard

FRANÇA | 2005 | Fic | Cor | 107’ | M/12

DE TANTO BATER O MEU CORAÇÃO

Tom  tem 28 anos e está destinado a seguir os passos do pai no mundo podre dos negócios imobiliários. Mas um encontro inesperado leva-o a acreditar que ele pode tornar-se, à semelhança da mãe, pianista. Deixar esse mundo corrupto e voltar a entregar-se à música. Para tal, prepara-se para uma audição com uma virtuosa pianista chinesa. Ela não fala uma palavra de francês, por isso a música é a única forma de comunicação. Mas as pressões do seu mundo de trabalho são cada vez maiores e cada vez mais difíceis de suportar. “De Tanto Bater o Meu Coração Parou”, de Jacques Audiard  é um “remake” de “Fingers”, de James Toback, protagonizado por Harvey Keitel.

Título Original: De battre mon coeur s’est arrêté | Interpretação:  Romain Duris, Aure Atika, Niels Arestrup | Realização: Jacques Audiard | Argumento: Jacques Audiard, Tonino Benascquista | Fotografia:  Stéphane Fontaine | Montagem:  Juliette Welfling | Produção: Pascal Caucheteux | Música:  Alexandre Desplat

Sábado, 22 de março | 16h00

NOIVOS SANGRENTOS / BADLANDS

Terrence Malick

EUA | 1973 | Fic | Cor | 89’ |M/16

 BADLANDS

Na sua primeira longa-metragem, Terrence Malick inspirou-se num caso verídico que ocorreu nos EUA, nos anos 50, para filmar “Os Noivos Sangrentos”. Kit (Martin Sheen) é um jovem que trabalha na recolha do lixo e namora com Holly (Sissy Spacek), uma adolescente de quinze anos. O comportamento de Kit não é propriamente exemplar e, naturalmente, o pai da rapariga (Warren Oates) opõe-se à relação entre os jovens. Kit remove facilmente esse impedimento, matando o pai da rapariga, perante o olhar impávido e sereno desta. Depois, ambos iniciam uma fuga de automóvel por vários estados dos EUA. A história é narrada parcialmente por Holly, de forma desapaixonada.

Título Original: Badlands | Interpretação:  Martin Sheen, Sissy Spacek | Realização: Terrence Malick | Argumento: Terrence Malick | Fotografia: Tak Fujimoto, Stevan Larner, Brian Probyn | Montagem: Robert Estrin | Produção: Terrence Malick

Quarta-feira, 26 de março | 21h30

O GEBO E A SOMBRA

Manoel de Oliveira

PORTUGAL/ FRANÇA | 2012 | Fic | Cor | 95’ | M/12

O GEBO E A SOMBRA

Apesar de viver no limiar da pobreza, Gebo continua a sua atividade de contabilista para sustentar Doroteia, a mulher, e Sofia, a nora. A existência daquelas três pessoas é triste e monótona, girando à volta da ausência de João, o filho, que ninguém sabe onde está ou as razões por que partiu. Apesar do velho senhor tentar encontrar maneiras de aliviar o sofrimento das duas mulheres, parece que nada consegue minimizar as suas dores. Até que, sem que já ninguém o esperasse, João regressa. E é a partir daquele momento que o equilíbrio familiar, já de si frágil, se rompe, dando origem a uma catástrofe…

Interpretação: Michael Lonsdale, Claudia Cardinale, Jeanne Moreau  | Realização: Manoel de Oliveira | Argumento: Manoel de Oliveira | Fotografia: Renato Berta | Montagem: Valérie Loiseleux  | Produção: Sandro Aguilar, Luís Urbano, Antoine de Clermont-Tonnerre e Martine de Clermont-Tonnerre

Quinta-feira, 27 de março | 21h30

JACQUOT DE NANTES

Agnès Varda

FRANÇA | 1991 | Fic/Doc | Cor | 118’ | M/12

JACQUOT DE NANTES

Varda revela-nos aqui a infância de Jacques Demy, o seu companheiro de tantos anos. Assumindo o registo ficcional, o filme é uma crónica dos anos da juventude do realizador, dos jogos com o seu irmão e amigos, dos amores infantis, mas também das primeiras experiências cinematográficas. Um filme que regista o despertar de uma vocação.

Interpretação: Jacques Demy, Phillipe Maron, Édouard Joubeaud  | Realização: Agnès Varda | Argumento: Agnès Varda a partir das memórias de Jacques Demy | Fotografia: Patrick Blossier, Agnès Godard, Georges Strouvé | Montagem: Marie-Josée Audiard | Música: Joanna Bruzdowicz

Sábado, 29 de março | 16h00

A DESPEDIDA DE ONTEM / ABSCHIED VON GESTERN

Alexander Kluge

ALEMANHA | 1966 | Fic | P&B | 88’ | M/12

A DESPEDIDA DE ONTEM

Anita G., uma judia, chega “do outro lado”. Com uma mala na mão, encontra estranhos que a fazem descobrir um país desconhecido: a República Federal da Alemanha, no ano de 1966. Proveniente da RDA, Anita é a personificação de um passado mal resolvido, não dispondo portanto das condições que lhe permitiriam uma integração bem-sucedida na sociedade da Alemanha Ocidental.

Título Original: Abschied von Gestern | Interpretação:  Alexandra Kluge, Gunter Mack, Hans Korte | Realização: Alexandre Kluge | Argumento: Alexander Kluge | Fotografia: Thomas Mauch, Edgar Reitz | Montagem: Beata Mainka | Produção: Alexander Kluge

Bilhete Normal: €3,50
Bilhete Estudante e Sénior: €2,50
Bilhete Associado Cineclube do Porto: €0,50
A bilheteira abre 30 minutos antes de cada sessão.

Casa das Artes – Sala Henrique Alves Costa
Rua de Ruben A. 210, 4150-639 – Porto
T.226 006 153

Anúncios