Sessão de 29 de Agosto de 2012 – O Manuscrito Perdido de José Barahona

Esta semana, o Cineclube do Porto apresenta o filme ” O Manuscrito Perdido” de José Barahona, ao ar livre no Espaço Compasso ( n.º 111 da Rua da Torrinha, no centro do Porto ).

Pt/Br | 2010 | Dig | 79′

“O “Manuscrito Perdido” é um jogo inteligente e divertido sobre as trocas culturais no vasto mundo da língua portuguesa. Quase uma ficção disfarçada de documentário. Quase um documentário disfarçado de ficção. A jornada que se propôe talvez seja, afinal, uma das soluções, senão a única solução, para o futuro do cinema português: a redescoberta do Brasil pelos portugueses, a redescoberta de Portugal e das Áfricas, pelo Brasil. A possibilidade de um cinema comum.”
José Eduardo Agualusa

Dizem que no Mosteiro de Cairu, uma pequena cidade a sul de Salvador, existe um manuscrito perdido de Fradique Mendes. Fradique foi um poeta e aventureiro português, amigo de Eça de Queiroz, que se instalara na região no final século XIX. Por ter libertado todos os seus escravos, foi odiado e perseguido pelos esclavagistas brasileiros. Na urgência da fuga, terá deixado em Cairu este manuscrito que reflectia sobre as origens da sociedade brasileira e se pronunciava sobre algumas questões sociais da época: os expatriados, a escravatura, e as lutas dos índios. O filme parte em busca do manuscrito e refaz a viagem de Fradique Mendes na sua fuga, visitando alguns lugares que podem hoje fazer luz sobre estas mesmas questões: as comunidades dos descendentes dos escravos africanos, as aldeias indígenas onde Cabral primeiro chegou, e os acampamentos dos sem terra. No fundo grupos sociais que têm em comum algo com mais de 500 anos: a luta pela liberdade através da luta pela posse da terra.
Público em geral: €3,00 com oferta de 1 bebida

Estudantes: €2,50 com oferta de 1 bebida
Sócios: €1,00  com oferta de 1 bebida
Anúncios